Doenças cardiovasculares: como reverter esse quadro?

Existem vários fatores que predispõem uma pessoa a um maior risco de desenvolver doenças cardiovasculares. As doenças cardiovasculares, que afetam coração e vasos sanguíneos, constituem uma das principais causas de morte em nosso país, por isso, se faz necessário que a veiculação de informações sobre essas doenças seja mais eficaz e constante. 971766_658436197515122_1827702140_n

Esse conjunto de doenças são frequentemente súbitas e inesperadas, a partir disso o conhecimento dos fatores de risco se torna um importante aliado na redução de complicações fatais e não fatais advindos dessas doenças.

A idade e o histórico familiar encontram-se entre as condições que aumento o risco de uma pessoa vir a desenvolver ma doença cardiovascular. Contudo, existem outros fatores que variam desde genéticos ao estilo de vida adotado atualmente.

Tabagismo:

Os efeitos nocivos do tabaco são cumulativos, quer no que se refere ao seu consumo diário quer ao tempo de exposição. O tabagismo favorece o aparecimento da angina de peito, do infarto do miocárdio e da doença arterial periférica, e pode levar, inclusive, à morte. O risco de acidente vascular cerebral também aumenta nos fumantes de modo proporcional ao número de cigarros fumados por dia.

Sedentarismo:

A inatividade física é hoje reconhecida como um importante fator de risco para as doenças cardiovasculares. A falta de prática regular de exercício físico moderado potencia outros fatores de risco suscetíveis de provocarem doenças cardiovasculares, tais como a hipertensão arterial, a obesidade, a diabetes ou a hipercolesterolemia.2

Diabetes Mellitus e obesidade:

É particularmente perigosa uma forma de obesidade designada obesidade abdominal que se caracteriza por um excesso de gordura principal ou exclusivamente na região do abdome. A obesidade abdominal está associada a um maior risco de desenvolvimento de diabetes e doenças cardiovasculares.3

Maus hábitos alimentares:

O excesso de sal, de gorduras, de álcool e de açúcares de absorção rápida na alimentação, por um lado, e a ausência de legumes, vegetais e frutos frescos, por outro, são fatores de risco associados às doenças cardiovasculares.

Hipercolesterolemia:

Manifesta-se quando os valores do colesterol no sangue são superiores aos níveis máximos recomendados em função do risco cardiovascular individual. O colesterol é indispensável ao organismo, quaisquer que sejam as células orgânicas que necessitem de regenerar-se, substituir-se ou desenvolver-se. No entanto, valores elevados são prejudiciais à saúde.

Há dois tipos de colesterol. O colesterol HDL (High Density Lipoproteins), designado por “bom colesterol”, é constituído por colesterol retirado da parede dos vasos sanguíneos e que é transportado até ao fígado para ser eliminado. O colesterol LDL (Low Density Lipoproteins) é denominado “mau colesterol”, porque, quando em quantidade excessiva, ao circular livremente no sangue, torna-se nocivo, acumulando-se perigosamente na parede dos vasos arteriais. Quer o excesso de colesterol LDL, quer a falta de colesterol HDL, aumentam o risco de doenças cardiovasculares, principalmente o enfarte do miocárdio.

Como se proteger das doenças cardiovasculares?

O site da Sociedade Brasileira de Cardiologia criou os Dez Mandamentos para manter uma vida saudável. Confiram.

1 – Diga não à obesidade e controle o seu peso;

2 – Consulte o seu médico periodicamente;

3 – Meça a sua pressão arterial com freqüência;

4 – Diga não ao fumo;

5 – Verifique a quantidade de sal nos rótulos dos alimentos;

6 – Diga não ao sedentarismo. Pratique esportes;

7 – Escolha bem os alimentos;

8 – Saiba se é diabético e se tem colesterol alto;

9 – Evite o estresse;

10 – Ame a vida e o seu coração.

Quais são as doenças mais comuns?

A pressão arterial elevada, a doença das artérias coronárias (estreitamento do calibre das artérias coronárias),a doença cerebrovascular e a aterosclerose (presença de trombos na parede das artérias) são exemplos mais comuns de doenças cardiovasculares.

Como se faz o diagnóstico?

Mediante o quadro clínico apresentado pelo doente, as suas queixas, o seu histórico médico, bem como os fatores de risco a ele associados, o médico de família pedirá os exames médicos complementares/auxiliares, que lhe permitam fazer o diagnóstico e/ou enviar o doente para um especialista (cardiologista).4

*Existem várias testes no site da Sociedade Brasileira de Cardiologia que avaliam, por exemplo, o seu risco de ter uma doença coronariana. Confiram: http://prevencao.cardiol.br/testes/principal.asp

Referências bibliográficas:

  1. http://pt.wikipedia.org/wiki/Fator_de_risco_cardiovascular (Acessado em 07 de Julho de 2013)
  2. http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?196 (Acessado em 07 de Julho de 2013)
  3. http://www.cardiol.br/ (Acessado em 07 de Julho de 2013)
  4. http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/enciclopedia+da+saude/ministeriosaude/doencas/doencas+do+aparelho+circulatorio/doencascardiovasculares.htm (Acessado em 07 de Julho de 2013)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s